Outro intruso interestelar

Título:  Initial characterization of interstellar comet 2I/Borisov

Autores: HPiotr Guzik, Michał Drahus, Krzysztof Rusek, Wacław Waniak, Giacomo Cannizzaro e Inés Pastor-Marazuela

Instituição do primeiro autor: Observatório Astronômico, Universidade Jagiellonian, Cracóvia, Polônia

Status: Publicado na Nature, acesso aberto pelo arXiv.

Visitantes do além já estão aqui. Há dois anos atrás, o primeiro objeto interestelar observado, 1I/’Oumuamua, passou pelo nosso sistema solar. Descoberto pelo projeto PanSTAARS, não se parecia com nada que vimos ou conheciamos no nosso próprio sistema solar (uma forma estranha e alongada de charuto, em uma órbita hiperbólica), e algumas pessoas até afirmaram que poderiam ser alienígenas que estavam explorando nosso sistema solar . Mas realisticamente, o Oumuamua forneceu uma oportunidade interessante para podermos aprender sobre como outros sistemas planetários se formaram (já que é um remanescente da formação de um planeta distante) e forneceu nossa primeira restrição sobre quantos desses objetos podemos esperar ver no futuro.

Em um tempo astrofísico super curto, apenas dois anos depois, já encontramos um segundo objeto extra-solar visitando nossas “terras”, o cometa 2I/Borisov. Enquanto ‘Oumuamua tinha uma aparência de asteróide escuro, Borisov é um cometa brilhante. Além de sua trajetória interestelar incomum, ele se parece com um cometa do nosso sistema solar, como mostra a Figura 1. É o segundo objeto interestelar que vimos, mas o primeiro cometa interestelar!

astropontos_12_19
Figura 1: Um histograma mostrando a distribuição de cores típicas dos cometas do sistema solar. A cor de 2I/Borisov está marcada com uma seta vermelha para comparação, mostrando claramente que é semelhante aos cometas em nosso próprio sistema solar. (Figura 3 no artigo).

Então, mas como encontramos essa coisa? Da mesma forma que Oumuamua, a característica  que indica claramente que tal objeto está vindo de uma região além do sistema solar é o seu caminho estranho e hiperbólico no espaço. Ao rastrear seu movimento no céu, vemos que ele está em uma trajetória que claramente não está orbitando o sol. O problema, porém, é que os astrônomos rastreiam milhares e milhares de objetos no céu o tempo todo (em breve será ainda mais com a próxima geração de telescópios de pesquisa como o LSST). A ordenação manual de todos esses dados é quase impossível; portanto, os autores deste artigo elaboraram um código especializado chamado “triturador interestelar” que classifica os dados publicamente disponíveis da astrometria (posição do céu) e procura órbitas estranhas, possivelmente interestelares. Seu código sinalizou esse objeto como potencialmente interessante. Assim, eles o acompanharam e o observaram com o telescópio William Herschel (WHT) de 4,2 metros em La Palma e o telescópio Gemini North de 8,2 metros em Mauna Kea (veja a Figura 2 para imagens de Borisov) . Ele mostra claramente uma coma e uma pequena cauda, características que definem um cometa! Com um núcleo com cerca de 0,5 quilômetros de diâmetro, ele é muito pequeno para ser um cometa, mas não é incomum no sistema solar.

astropontos_12_19_2
Figura 2: Imagem do cometa Borisov. (Figura 2 no artigo).

Dissemos que o objeto Borisov está passando por nosso sistema solar, mas onde ele está agora? Ao contrário de ‘Oumuamua, encontramos o Borisov a caminho do sistema solar, antes de sua passagem mais próxima ao Sol. Isso foi no dia 8 de dezembro, meses depois que o descobrimos originalmente. Isso significa que, à medida que se aproxima, sua visibilidade para nós continuará melhorando e, com sorte, teremos mais tempo para estudá-lo.

Essa descoberta está alinhada com as estimativas anteriores de quantos objetos descobriríamos com base em ‘Oumuamua. Vários autores haviam proposto que veríamos cerca de um objeto interestelar por ano, que é exatamente o que temos observado até agora. Vamos descobrir mais sobre isso no futuro e o que aprenderemos à medida que os cientistas observarem intensamente Borisov nos próximos meses, e possíveis outros corpos extra-solares nos próximos anos!


Adaptado de: Another interstellar interloper, escrito por Briley Lewis.

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s