Água em Marte: Uma Nova Evidência

Título: Exposed subsurface ice sheets in the Martian mid-latitudes

Autores: Colin M. Dundas, Ali M. Bramson, Lujendra Ojha e colaboradores

Instituição do primeiro autor: Astrogeology Science Center, U.S. Geological Survey, 2255 N. Gemini Drive, Flagstaff, AZ 86001, USA

Status: publicado na revista Science

Uma longa busca por indícios de água no planeta vermelho, ou melhor, em Marte, é desenvolvida por diversos astrônomos ao redor do mundo. A NASA, por exemplo, coordena importantes missões espaciais que têm por principais objetivos encontrar vida no nosso mais próximo planeta. As recentes missões Phoenix e Curiosity, pousaram em Marte nos anos de 2007 e 2012, respectivamente, e puderam verificar alguns vestígios de água em estado sólido (gelo) em camadas abaixo da superfície do planeta. Como já discutimos em alguns Astropontos anteriormente (1, 2, 3,), buscar por água é a primeira opção na procura por formas de vida extra-terrestres, já que todos os seres vivos que conhecemos têm suas estruturas baseadas em água. Outra forma de estudar em detalhes o planeta Marte pode ser feita a partir de satélites espaciais que o orbitam. Um destes é o NASA’s Mars Reconnaissance Orbiter (MRO), que recentemente anunciou a descoberta de grandes camadas de gelo abaixo da superfície de Marte. O Astropontos de hoje discute um pouco sobre esta nova evidência de água em Marte.

A partir de oito imagens capturadas com satélite MRO (Figura 1), os autores do trabalho discutido hoje observaram que existem grandes camadas de gelo logo abaixo da superfície de Marte e que estas podem iniciar a partir de dois ou três metros de profundidade, podendo alcançar até 100 metros.  Esta nova descoberta foi observada a partir de oito grandes erosões na superfície de Marte, onde sete destas são localizadas no hemisfério sul e a outra na região norte, próximo a cratera Milankovič.  Durante o tratamento das imagens, os autores primeiramente verificaram que a camada interior do planeta, exposta durante a erosão, é mais azul que a superfície. Este foi o primeiro indício que o que estava sendo observado é de fato água, o que foi verificado após detalhado estudo.

A figura 1, abaixo, apresenta duas imagens capturadas pelo satélite onde podemos ver com detalhes a forma da erosão. A seguir, a figura 2 onde podemos observar com mais detalhes o reflexo da luz mais azulado sobre a camada erodida do planeta. Em ambas figuras a escala de tamanho é apresentada na parte inferior esquerda.

marte1
Figura 1. Imagem da erosão observada em Marte.
marte2
Figura 2. Apliação da Figura 2 com destaque para as regiões internas do planeta Marte. Também é possível observar o tom mais azulado comparado com a superfície do planeta como indício de água.

Esta nova confirmação da presença de água em estado sólido no planeta Marte corrobora com várias outras observações obtida ao longo dos anos, e ajuda a estabelecer possíveis locais de busca por vida em missões espaciais futuras que pousaram em Marte em busca de vida.

Outras questões no entanto permanecem em aberto. A principal delas é como e porquê a água de marte escapou da sua superfície, sendo para camadas mais internas do planeta, como observado neste estudo, ou por vaporização. O que temos bastante evidências é que Marte já possuiu bastante água em sua superfície, e até com grandes rios.


Aos mais curiosos, algumas matérias interessantes sobre o tema e em língua portuguesa podem ser acessadas nos seguintes links 1, 2, 3.

 

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s