As computadoras de Harvard

HarvardComputers
Williamina Fleming (em pé) supervisiona o time das “computadoras de Harvard” no Harvard College Observatory enquanto elas mapeiam o universo – estrela por estrela. (Harvard-Smithsonian Center for Astrophysics, Glass Plate Collection)

Imagine que você é uma astrônoma de sucesso e intelectual. Você passa seus dias mapeando o universo e fazendo alguns dos maiores avanços na classificação estelar. Apesar disso, você recebe pouco ou nenhum respeito da sociedade e suas incontáveis ​​contribuições científicas passam despercebidas. Isso parece familiar para você? Você deve ser uma das computadoras de Harvard!

Você deve estar se perguntando “mas quem são as computadoras de Harvard?”.  Elas eram um grupo de trabalhadoras contratadas pelo Harvard College Observatory, sob a supervisão de Edward Charles Pickering. Esse grupo foi originalmente chamado de “Harém do Pickering”, um nome que é ofensivo e indica como essas mulheres deveriam desempenhar um papel secundário para seu supervisor. Enquanto algumas mulheres, como Eliza Quincy, voluntariaram-se como observadoras, não havia mulheres pagas no campo da astronomia até as computadoras de Harvard. As primeiras três computadoras – R.T. Rogers, R.G. Saunders e Anna Winlock – foram contratadas em 1875. Ao longo das duas décadas seguintes, de 40 a 80 mulheres foram contratadas.

Ter mulheres no local de trabalho não era a norma em 1800, e isso era especialmente sem precedentes no campo da astronomia. O papel geral das mulheres durante esse tempo era ficar em casa e cuidar das famílias. Edward Clarke, um médico durante este tempo, afirmou que “o corpo de uma mulher só poderia lidar com um número limitado de tarefas de desenvolvimento de uma vez só – meninas que gastam muita energia desenvolvendo suas mentes durante a puberdade acabam com sistemas reprodutivos não desenvolvidos ou doentes.” A escola nessa época era considerada muito estressante para as mulheres. No entanto, algumas escolas progressistas começaram a aceitar mulheres e algumas escolas foram fundadas apenas para mulheres, como o Vassar College. Pickering precisava de novos astrônomos e viu esse novo influxo de mulheres educadas no campo de trabalho como um modo econômico de satisfazer essa necessidade.

A técnica de Pickering para estudar as estrelas foi diferente da de outros astrônomos. Ele temia que, estudando as estrelas tradicionalmente, através do telescópio, o olho se cansasse e as medições ficassem distorcidas. Em vez disso, ele sugeriu estudar fotografias do céu noturno, o que permitiu comparações mais diretas, permitindo aos astrônomos determinar mais facilmente quais estrelas eram mais brilhantes. No entanto, com essa nova técnica surgiram grandes quantidades de novos dados. Pickering e sua equipe atual precisavam de mais ajuda. Ele pensou em uma solução brilhante: contratar mulheres! Pickering acreditava que as mulheres instruídas podiam fazer o mesmo trabalho, mas recebiam o mesmo que um trabalhador não qualificado, a cerca de 25 a 50 centavos por hora. Isso era muito menos do que um homem fazendo exatamente o mesmo trabalho que receberia, um problema que muitas mulheres ainda enfrentam hoje. Elas trabalhavam seis dos sete dias da semana, e suas tarefas eram extremamente tediosas. Embora no início muitos de seus trabalhos fossem considerados como assistentes e que exigiam menos habilidade, essas mulheres passaram a realizar muito mais no campo astronômico.

Williamina Fleming, supervisora ​​de 14 outras mulheres em sua área, tornou-se uma das computadoras mais notáveis ​​e talentosas. Ela desenvolveu um sistema de classificação baseado na quantidade relativa de hidrogênio observada nos espectros da estrela. Ela também descobriu a primeira estrela anã branca. Uma estrela anã branca é uma estrela pequena, mas extremamente densa, dentro da qual nenhuma fusão ocorre. Elas são extremamente fracas e são o passo final na evolução de todas as estrelas, exceto as mais massivas. Em nove anos de trabalho, Fleming conseguiu catalogar 10.000 estrelas e também descobriu a Nebulosa Cabeça de Cavalo, uma nebulosa escura que existe ao sul da estrela mais oriental de Orion. Fleming descreveu essa descoberta muito vividamente, e ainda em publicações, ela quase nunca foi citada. Ela foi finalmente reconhecida por suas realizações e nomeada Curadora das Placas Fotográficas em 1899, cerca de 20 anos depois de seu trabalho inicial.

 

Annie Jump Cannon melhorou o sistema de classificação de Fleming, e criou seu próprio sistema de classificação que é usado ainda hoje. Esse sistema baseia-se na temperatura e divide as estrelas em suas classes espectrais, O, B, A, F, G, K e M. Essa divisão foi baseada na força das linhas de absorção de Balmer para cada estrela, que estão associadas à temperatura do hidrogênio, o elemento mais abundante no universo e o principal componente das estrelas. A União Astronômica Internacional adotou este sistema como seu método oficial de classificação em 1922. Com este novo sistema, ao longo de sua carreira, Cannon classificou aproximadamente 350.000 estrelas. Em 1938, Harvard finalmente nomeou para ela a William C. Bond Astronomer, uma homenagem que tem o nome do primeiro diretor do Harvard College Observatory. Apesar disso, o sistema de classificação de Cannon é chamado de “sistema de classificação de Harvard”, em vez de “sistema de classificação de Cannon”. Enquanto isso, Pickering teve várias coisas diretamente nomeadas depois dele, incluindo o esquema de classificação original (chamado de sistema de classificação Pickering-Fleming), uma série de linhas espectrais, bem como o nome “Harem de Pickering” originalmente dado às Computadoras de Harvard. Este é um exemplo claro das realizações das mulheres sendo diminuídas, quando as cientistas foram responsáveis pela maior parte do trabalho.

Henrietta Swan Leavitt também deixou um grande impacto com suas descobertas em astrofísica. Durante suas observações, Leavitt foi capaz de perceber que algumas estrelas pulsam com brilho consistente. Ela descobriu que as estrelas variáveis ​​Cefeidas ​​mais brilhantes tinham períodos mais longos, e também que havia uma relação simples entre essas estrelas e seus períodos (veja mais sobre seu trabalho nesse astropontos). Esta foi uma descoberta extremamente importante, pois deu lugar ao cálculo de distâncias no universo. Edwin Hubble baseou-se nesta descoberta para provar que o universo vai muito além da nossa galáxia. Mais tarde, Pickering publicou o trabalho de Leavitt com o nome dele; embora ela tenha sido reconhecida em todo o documento, o público em geral creditou Pickering e omitiu as contribuições de Leavitt. As realizações de mulheres e minorias são freqüentemente diminuídas, portanto o crédito é extremamente necessário quando o crédito é devido. Caso contrário, o público continuará a manter esses preconceitos prejudiciais e a mudança necessária nunca ocorrerá.

Sem as realizações surpreendentes dessas mulheres, a astrofísica não seria nada do que é hoje, e poderíamos estar anos atrasados ​​em relação ao nosso conhecimento atual no campo da astronomia. É importante lembrar e reconhecer ativamente as lutas das computadoras de Harvard para garantir que não silenciaremos mais as mulheres na ciência. Não podemos descartar descobertas, pesquisas e idéias, porque aqueles que fazem essas descobertas não se encaixam no molde ultrapassado do “cientista clássico”. Devemos estar constantemente atentos de quem continuamos a silenciar e mudar nossas rotinas opressoras. Quando buscamos essas mudanças, nossa sociedade – e nossa ciência também – se beneficiarão grandemente.

Do original em inglês – The Harvard Computers – por Jillian Hyland.

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s